quarta-feira, 23 de junho de 2010

Cria. Viva. Poesia.

E eu vejo além do que se vê, muito mais do que se cria, e muito mais do que se crê.
Primeiro a noite, depois o dia. Primeiro a luta, logo poesia. Porque amanhã é o hoje recriado, onde é que você cria?

Você.

Sou rainho de Sol que sai do monte de manhã, só pra chegar perto de você. Tão perto, tão longe, tão certo.. Que a gente busca a gente lá no fundo. Mas e quando encontra a semente do que sente? Floresce, tece, transcede.
Aquece.

:)