terça-feira, 18 de agosto de 2009

Metáforas da alma, percam-se por lá!
Solidão que me apavora, devora e me faz de ti. Clara companhia, meu pão, minha comida, minha casa, minha vida.

e porque ceder agora, se já me perdi dentro de mim?